segunda-feira, 1 de abril de 2019

No pain, no gain?




Por muitos anos eu vivi a máxima do "No Pain, no gain" e a partir das crenças de toda a minha ancestralidade eu acreditei verdadeiramente que grandes conquistas exigiam muito esforço e para alcançar nossos sonhos era necessário muito sacrifício. 

Fazer parte da geração X - que cresceu em meio a escassez, dentro de um panorama conturbado da economia, em que diversas são as tentativas de reformas monetárias e a adoção de planos econômicos, contribuiu para a construção de padrões limitantes da minha família. 

Viver com a necessidade de armazenar e estocar alimentos, dada as incertezas do país foi, sem dúvida, desafiador. Imagine que os produtos sumiam das prateleiras dos supermercados e eram comprados com ágio no mercado paralelo. A máquina de remarcar preços tornou-se um ícone desse período. Para os economistas a década de 80 foi considerada a década perdida, sobretudo pela insuficiência de recursos e renda per capita estagnada. 

Logo, ter um emprego com carteira assinada e mante-la com um único empregador era motivo de orgulho e boa reputação. Assim, Cresci ouvindo a minha mãe dizer:

"precisa trabalhar muito para conseguir as coisas. Viver não é fácil"
"Tem que trabalhar muito e juntar dinheiro, tem que economizar". 
"Dinheiro não dá em árvore, tem que se esforçar". 

Conselhos que ela aplicava trabalhando insanamente das 6h às 23h, um padrão que inconscientemente repliquei por muitos anos na minha vida. 

Aos poucos fui percebendo que essa teoria do "sem dor, sem ganho" fazia sentido para ela, considerando a falta de oportunidade, a escassez de recursos, as diferenças sociais, que eram gritantes e todo o contexto politico-econômico do país naquela época. 

A partir do momento que você percebe que uma crença te limita você é capaz de Ressignificar toda a sua jornada, reprogramando seu cérebro para novos padrões mentais. E o que você ganha com isso? 

No meu caso tenho aprendido que não é a intensidade e quantidade de horas de trabalho que protagoniza o meu sucesso e felicidade, mas é o foco, dedicação e comprometimento que geram os melhores resultados. As conquistas não precisam ser sofridas, o sucesso não exige dor, exige compromisso e consciência. 

Por muito tempo eu acreditei que foi o meu trabalho exaustivo que contribuiu para a minha realização pessoal e profissional. Hoje compreendo que o segredo para o meu sucesso sempre esteve no meu coração e no meu objetivo. Não tem essa de sofrer para merecer. Merecimento tem muito mais a ver com confiar em si e seguir a sua intuição. 

Portanto, se você deseja viver uma vida com propósito comece por observar quais são os seus pensamentos e comportamentos e que resultados eles têm gerado. Se entender que é preciso ajustar a rota don't worry, be happy :) 

Um abraço, 

Simara Rodrigues 

2 comentários:

  1. Don't worry, be happy! Delícia de texto para começar a semana, o mês! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viver com leveza tem feito muito sentido para mim.... e gerado os resultados que busco. ótima semana para você também. :)

      Excluir