domingo, 27 de maio de 2018

Como encontrar um mentor de carreira


Recentemente eu e Simone Reis, do canal Secretariado com Simone falamos sobre mentoria e carreira. Ontem li um artigo publicado no blog da Hays, a maior empresa de recrutamento do mundo, falando sobre o assunto. Achei interessante as dicas, as quais compartilho aqui no Blog. 

Particularmente sempre valorizei e continuo valorizando o apoio e orientação de profissionais especialistas nas áreas que escolhi atuar, por isso, ter pessoas que te orientam e apoiam é um diferencial.  Isso porque colabora para decisões, escolhas e estratégias. Gosto de pensar nos meus mentores como chave para o sucesso e por isso, antes de tomar decisões, costumo consulta-los, porque sei que posso confiar em suas orientações, experiências e diretrizes. As melhores escolhas que fiz foram direcionadas a partir de conversas com pessoas que confio e me inspiram. 

Dá uma olhada no artigo

Como encontrar um mentor de carreira


Qualquer profissional ambicioso precisa de um bom mentor capaz de ajudá-lo objetivamente a superar obstáculos profissionais. E tudo o que você precisa para encontrar um mentor de carreira é a visão de onde você quer estar em sua carreira, a motivação para chegar lá e a confiança de buscar conselhos de alguém inspirador e com credibilidade suficiente para ajudá-lo.

Com isso em mente, como você pode encontrar seu mentor?

Passo 1: pergunte a si mesmo – em quais questões você precisa de ajuda?

É importante que você inicie o processo de encontrar um mentor, avaliando a visão que você tem para sua carreira. Idealmente, onde você estaria em um ano, três anos e cinco anos? E quais obstáculos estão em seu caminho?

Por exemplo, há alguns anos eu estava em um momento decisivo na minha carreira. Eu queria chegar ao próximo nível, mas havia algo que estava no meu caminho: eu temia ser palestrante e fazer apresentações. Eu sabia que se eu quisesse alcançar meus objetivos de carreira, algo teria que mudar. Foi preciso encontrar um mentor para me ajudar a construir minha confiança e a conseguir falar em público para isso acontecer.

Passo 2: avalie sua rede de contatos e pense fora da caixa

Agora é hora de encontrar a pessoa certa para ajudá-lo. Quem em sua vida superou os mesmos obstáculos que você está enfrentando? Essa pessoa está onde você deseja estar agora? Quem você conhece que é realmente bom na habilidade que você quer desenvolver ou que ocupa o cargo que você gostaria de ter no futuro?

Ao procurar seu mentor de carreira, considere colegas antigos e atuais, amigos e familiares, bem como pessoas de outros círculos sociais e profissionais. Continuando a história da minha própria busca por um mentor: ao perceber o que eu tinha que fazer, pensei em quem poderia me ajudar. Neste caso, foi um colega sênior que decidi abordar e foi, sem sombra de dúvida, a pessoa certa para ser meu mentor. O próximo passo foi conversar e pedir ajuda.

Passo 3: Faça uma abordagem autêntica e modesta

A maneira como você aborda seu potencial mentor dependerá do seu relacionamento com ele. Se ele é um contato profissional, sugiro que você primeiro envie uma mensagem explicando como ele o inspira, como você acha que ele pode ajudá-lo e pergunte educadamente se vocês poderiam reservar algum tempo para conversar.

Se essa pessoa estiver em sua organização atual, também recomendo que você converse sobre isso com seu gestor antecipadamente. Ele pode ser capaz de lhe dar algumas dicas sobre como deve ser sua abordagem. A questão é que seu mentor precisa estar fora da sua linha de gestão direta sempre que possível.

Passo 4: Cultive a relação mentor-aprendiz

Lembre-se que seu mentor está se disponibilizando para ajudá-lo, portanto, agradecimento e respeito são chaves para estabelecer e manter esse relacionamento. Antes de todas as reuniões, se organize para ser pontual e ir bem preparado. Anote os desafios específicos que você está enfrentando, o que você quer aprender com seu mentor e como você acha que ele poderia ajudá-lo.

Você também deve compartilhar o progresso que você fez a partir das reuniões anteriores e dê exemplos práticos disso. Eu sempre agradeço muito ao meu mentor pelo seu tempo e conto sobre qualquer feedback positivo que recebi das minhas apresentações, além disso, falo como o conselho dele me ajudou a alcançar esse resultado.

Portanto, para ter um mentor de carreira você simplesmente precisa ter uma visão para sua carreira e uma abordagem metódica, discreta e autêntica. Pessoalmente falando, encontrar um mentor de carreira foi uma das melhores decisões que já tomei, e é algo que todo profissional deve seguir em seu caminho para o sucesso na carreira. E lembre-se, tenha tudo isso em mente na próxima vez que alguém lhe pedir ajuda também!

Karen Young
Director, Hays UK


Assunto relacionado:


Mentoria e Consultoria no Secretariado

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Comunicação não-violenta


Eu me sinto uma pessoa muito afortunada, por vários aspectos, em especial por ter em minha jornada pessoas que me ajudam e me apoiam, o que diariamente é mencionado em minhas meditações, agradecer e reconhecer cada pessoa, como uma benção. Não gosto de tribos e tão pouco de definições padronizadas, muito menos de rótulos, até porque rótulos não são para pessoas, mas para coisas. Assim, gosto de me relacionar com  pessoas e não convivo com um grupo especifico. Na verdade me sinto muito melhor transitando em vários grupos, sempre atenta ao não-julgamento e verdades absolutas. Mas nem sempre foi assim. Já fui uma pessoa reativa e com dificuldades para me comunicar e me relacionar em determinadas situações, tanto no campo profissional como pessoal, o que por vezes gerou conflitos e atritos desnecessários. 



Por isso é tão importante termos em nossa caminhada pessoas que nos ajudam e nos apoiam. E foi exatamente uma grande amiga, Patricia Kratka, que me apresentou há alguns anos a Comunicação não-violenta - CNV, uma técnica que tem contribuído para o meu crescimento pessoal e consequentemente profissional. 


As reflexões iniciais que permeiam a CNV e que são trabalhadas pelos especialistas são: 

Suas palavras são paredes ou janelas?
Você se comunica com você e com os outros? 
De forma agressiva ou de forma empática? 
Sua comunicação traz isolamento e desentendimentos ou traz conexão e harmonia? 

* perguntas utilizadas por Patrícia Kratka em seus treinamentos

Para mim, é cada vez mais notório o quão nocivo pode ser a comunicação, seja ela oral, escrita ou corporal e os impactos que pode causar na vida das pessoas. 

Vale ressaltar que comunicação não-violenta nada tem a ver com falar de forma fofa, falar baixo ou com expressões afetuosas e carinhosas. Comunicação não-violenta é sobretudo ter uma escuta ativa e empática, o que só é possível quando somos capazes de olhar para dentro de nós, e isso muitas vezes dói, o que faz com que algumas pessoas vivam a ilusão de que o outro é quem precisa mudar. 

Para Marshall B. Rosenberg, percursor da CNV, a comunicação está basicamente em duas instâncias: A de solicitação e a de retribuição. 

“Quando você entende que toda comunicação se resume a estas duas instâncias, não existe mais espaço para que você se ofenda, pois percebe que as pessoas estão apenas solicitando algo de você ou retribuindo, mas com o uso de estratégias altamente ineficazes.”

Por isso, aprender a reconhecer e controlar as emoções é algo muito importante e genuíno, se despindo de falsos discursos qualificados como originalidade e autenticidade, que não passam de agressividade e emoções mal-resolvidas. Reconhecer as reais necessidades e aprender a expressá-las com menos críticas e julgamentos pode ser o ponto de partida. 

Hoje, mais madura e mais consciente, estou segura que muitos embates e discussões, tanto no âmbito profissional como pessoal, poderiam ter sido evitados, se eu simplesmente aplicasse quatro técnicas descritas por Marshall: 


1) observar sem julgar - Significa desenvolver a capacidade de observar sem carga emocional ou juízo de valor. Deixar de lado suposições e achismos, sem a pretensão de que tudo é pessoal, quando na verdade, nada é pessoal. 

2) identificar sentimentos - É quando somos capazes de entender os porquês e desvendar cada emoção envolvida no contexto. Isso porque todo sentimento tem uma necessidade que não foi suprida. 

3) assumir responsabilidades - É quando somos capazes de reconhecer expectativas x realidade, assumindo que o outro não tem poder sobre nós. 

4) fazer pedidos - É quando conseguimos expor nossas necessidades e sem exigências, fazemos acordos. 

Se você quiser saber mais sobre o assunto, sugiro a leitura do livro Comunicação Não-violenta de Marshall B. Rosenberg. 

um abraço, 

Simara Rodrigues

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Mentoria e Consultoria no Secretariado


Eu verdadeiramente acredito no poder das conexões e principalmente que pessoas com a mesma “vibe”, afinidades, pensamentos e intenções em um determinado momento se encontram. Eu costumo chamar isso de “o poder do universo”. 


E como já mencionado aqui no Blog, conheci Simone Reis pelas redes sociais. Uma curtida aqui, um comentário ali e lá estávamos no Congresso Internacional de Secretariado – COINS, em 2017 e o sentimento que, até então, era apenas virtual, concretizou-se no presencial. Deu match, como diriam meus alunos. 

Simone é o tipo de pessoa que vale muito a pena conhecer. Gentil, educada, serena, inteligente e muito habilidosa, tem contribuído com um poderoso conteúdo para a Profissão de Secretariado e que indico sem ressalvas. 

O material compartilhado por Simone em suas redes sociais é riquíssimo e a partir de suas habilidades e competências, tem provocado muitas reflexões e aprendizado. 

E foi com muita gratidão que recebi o convite para gravar o vídeo da série “Carreira Secretariado” publicado no canal do youtube Secretariado com Simone. Foi uma conversa leve e descontraída, com muitos insights e dicas sobre Mentoria e Consultoria no Secretariado. 

Um bate papo que tinha previsão de 20 minutos durou quase duas horas. Ainda bem que antecipei à Simone sobre minha capacidade de "falar pelos cotovelos" principalmente quando a companhia é boa e o assunto é agradável. 

Como escrevi no início do post, Simone é uma pessoa que vale muito a pena conhecer e aprender. Então, se você, assim como eu acredita no poder nas conexões e tem sede de aprendizado, confere o vídeo, deixe seu comentário e amplie sua lente sobre a profissão e os caminhos que ela podem te conduzir. 

Abaixo, compartilho os contatos da Simone Reis 

✻ Visite nosso site: http://www.secretariadocomsimone.com
✻ Participe no Facebook: http://www.facebook.com/secretariadoc...
✻ Acompanhe o Instagram: http://instagram.com/secretariadocoms...
✻ Siga o perfil da Simone no LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/simonereis/ 
✻ Acompanhe o canal no Youtube: https://www.youtube.com/secretariadoc...
✻ Envie um e-mail: contato@secretariadocomsimone.com




segunda-feira, 14 de maio de 2018

Para obter sucesso tenha consistência

Consistência
substantivo feminino
1. 1.
característica de um corpo do ponto de vista da homogeneidade, coerência, firmeza, compacidade, resistência, densidade etc. dos seus elementos constituintes.
"a c. da massa do pão"
2. fig. estado ou caráter do que tem coerência, credibilidade, estabilidade etc.
"um projeto político a que falta c."
o propriedade de um conjunto de resultados de experiências (biológicas, físicas etc.) que satisfazem, dentro dos limites dos erros experimentais, as leis pertinentes aos fenômenos a que se referem.
3. fig. firmeza de pontos de vista ou de caráter; persistência.
"peca por falta de c."





Estamos praticamente chegando ao final do semestre, e maio já sinaliza alguns indicadores. Ter objetivos, criar hábitos e cumpri-los é sem dúvida um grande desafio da humanidade, o que exige muita determinação, disciplina e coerência. 

Há algum tempo desejava escrever algo relacionado ao conceito mais puro e prático de consistência, baseado em minha própria experiência de vida. Prática esta que costumo aplicar em outros campos da minha vida, isto é, gosto de falar, ensinar e discorrer sobre aquilo que experimento e vivo, faz mais sentido falar, agir e ensinar aquilo que de fato conheço e aplico. É claro que a teoria é necessária, mas a prática é essencial. 


Comecemos nossas reflexões sobre o fato de sermos diariamente bombardeados com promessas de sucesso instantâneo, realização imediata e resultados rápidos, o que leva muitos indivíduos à desviarem do objetivo principal ou desistir ao primeiro sinal de fracasso. 



Emagreça 10 kg em 7 dias, ganhe 100 mil em trinta dias, prometem as propagandas. 



Você consegue imaginar um atleta treinando apenas no mês da prova? Um professor entrando em sala de aula sem preparado prévio? Um profissional atuando com excelência e tendo realização sem preparado e aperfeiçoamento prévio? 



A mentalidade imediatista provocada pela sociedade é, na minha opinião, um dos maiores implicadores para o desenvolvimento de competências e mudança de mindset. 



Todos nós aspiramos ao sucesso em diferentes áreas da vida, o que é definido por cada indivíduo. Ocorre que o caminho é longo e desafiador e nem sempre as recompensas chegam rápido ou facilmente. Por isso, muitos desistem na metade do caminho. São ótimos “iniciadores” e péssimos “acabadores”. 



Por isso, ter consistência - depois de definir os objetivos - é o que contribui para o sucesso, de qualquer natureza. É preciso resistir às tentações e não há atalhos. 



Há algum tempo incluí entre as minhas “metas de ouro” - Que são aquelas que fazem parte do topo das minhas prioridades – viver uma vida mais saudável, o que significa dizer que seria necessário uma mudança de hábitos, incluindo alimentação balanceada, exercícios físicos regulares e algumas práticas que contribuem para o meu bem estar físico e mental. Naturalmente, significaria trabalhar de forma mais consciente, abrir mão de alguns hábitos, dormir mais e abrir mão de alguns compromissos que não estavam alinhados ao novo estilo de vida que escolhi. 



E assim, no início de 2018 comecei a desenhar meu primeiro plano de ação que previa consulta com médicos especializados, matrícula na academia e plano de alimentação. Os primeiros dias foram de chorar. Substituir um belo pavê de chocolate por uma fruta foi penoso. Chegava na academia de mau humor -  seria trágico se não fosse cômico. Aos poucos fui tomando gosto pela "coisa" e sendo influenciada e motivada pelos professores e colegas. Comecei a gostar e me sentir bem. Parei de usar desculpas e me comprometi comigo. Hoje, cinco meses depois, sinto falta quando não pratico atividade física e por vezes, consigo encontrar energia após as aulas - que não está no meu programa semanal -  para um treino de trinta minutos. O verdeiro poder do hábito, que desejo seguir para a minha vida. 


O que tenho aprendido, ao cumprir minha meta de ouro, é que consistência é a chave para o sucesso. Não adianta eu comer de forma saudável segunda, quarta e sexta. Não adianta eu correr uma vez por mês. Não adianta eu fazer caminhada no parque da cidade somente nas férias. Não adianta eu trabalhar feito uma louca 24h/7d, como fiz por muitos anos e não me arrependo, porque esta era a minha escolha à época, mas que hoje não está entre minhas prioridades. 

Consistência é fluidez, é seguir o plano descrito. 

É claro que por vezes me boicoto, quebro a dieta, me pego com preguiça de ir à academia, dou aquela titubeada em dizer “Não” para alguns compromissos que chocam com o horário das minhas atividades físicas. Por isso é tão desafiador cumprir metas. E este é o segredo do sucesso, persistência, disciplina, ajustar os eixos, levantar a poeira e dar a volta por cima. Sair do campo “eu gostaria” para “estou 100% comprometida”. 


Se eu escolhi ter uma vida saudável, eu preciso me comprometer 100% com isso, não pelo simples fato de cumprir uma meta, mas porque alcançar esse objetivo é importante para mim. Ser saudável é importante para mim. 



Para fundamentar um pouco mais o conceito, relembro quatro diretrizes definidas por Napoleon Hill, as quais aplico nesta meta de ouro e em todas as áreas da minha vida, são elas: 

Objetivo principal definido – “O objetivo principal na vida deve ser escolhido com um grande cuidado e, depois de escolhido, deverá ser escrito e colocado num lugar onde se possa vê-lo pelo menos uma vez por dia. Isso tem por efeito psicológico impressionar o subconsciente da pessoa de tal maneira que ela aceita esse propósito como um lema, um projeto, uma “planta” que finalmente dominará as suas atividades na vida e a guiará, passo a passo, para a consecução desse objetivo. – Napoleon Hill 


Entusiasmo “O homem geralmente triunfa com mais facilidade num campo de esforços em que se lança de corpo, alma e coração. – Napoleon Hill. 


Autocontrole  É ter plena consciência do que está fazendo e o que o aproxima ou o afasta do seu objetivo principal. É pensar a longo prazo e avaliar as consequências de cada ação. 



Fracasso Segundo Napoleon, o fracasso deve ser visto como um grande aliado. Uma vez que você falha, e isso irá acontecer, você descobre outras maneiras de realizar o seu objetivo. Cada vez que fracassar, é importante ajustar e seguir o caminho,  até encontrar a trilha ideal. 



Com Amor, 



Simara Rodrigues







Estabeleci 4 dias por semana para atividade física e considerando que tenho outros compromissos, o domingo entrou na programação. Sem stress e com muito amor no coração.


Estar com pessoas que te apoiam, ajudam, orientam e estão alinhadas ao seu objetivo é fundamental para que você tenha êxito. 



Em janeiro de 2018 fiz um post relatando o baixo desempenho na corrida de rua que participei no início do ano. Aceitei minhas limitações à época e fiz o "dever de casa", disposta a melhorar meu resultado. Nesse final de semana foi a minha revanche. YES! Corri durante todo o percurso e foi muito bom. Cheguei com essa carinha boa da foto e disposta a correr mais 5km. Dica de ouro: O resultado que você terá em qualquer área da sua vida é proporcional à sua energia e dedicação.