quarta-feira, 28 de março de 2018

Como fazer Mapas Mentais

Comecei a utilizar a técnica de mapa mental há alguns anos e desde então percebo que minhas ideias estão mais organizadas, direcionadas e planejadas. 

Abaixo, compartilho um texto do manual da Secretária que aborda o assunto de forma bem didática. 

um abraço, 

Simara Rodrigues 






Mapa Mental – Descubra o que é e como fazer Mapas Mentais

Por Bianca Rosário

O Mapa Mental é uma forma objetiva e simples de registrar informações. Essa técnica, que é uma espécie de diagrama, sistematizado pelo psicólogo inglês Tony Buzan, é muito usada para anotação de conteúdo e está relacionada à gestão de informações, ao conhecimento e ao capital intelectual, a fim de solucionar problemas e atender aos requisitos de memorização e aprendizado.

Além de atuar no raciocínio, o mapa mental também ajuda no processo de memorização em longo prazo. Isso acontece a partir do momento da estruturação do mapa, elementos como cores, desenhos, símbolos e informações segmentadas, fazem com que o cérebro raciocine e grave os dados com mais facilidade.

Você pode entender o mapa mental como uma árvore cujos galhos consistem em informações concisas que saem de um eixo principal. O mapa mental é revolucionário porque foi criado com base no funcionamento do cérebro. Segundo Buzan, esse órgão capta e guarda com mais facilidade informações sistematizadas em desenhos simples e palavras-chave que sintetizam um conteúdo. Essa é a estrutura de um mapa mental e o que o torna tão simples e eficaz.

Para que serve o Mapa Mental?

Os mapas mentais procuram representar, com o máximo de detalhes possíveis, o relacionamento conceitual existente entre informações que normalmente estão fragmentadas, difusas e pulverizadas no ambiente operacional ou corporativo. Trata-se de uma ferramenta para ilustrar ideias e conceitos, dar-lhes forma e contexto, traçar os relacionamentos de causa, efeito, simetria e/ou similaridade que existem entre elas e torná-las mais palpáveis e mensuráveis, sobre os quais se possa planejar ações e estratégias para alcançar objetivos específicos.

O mapa mental se difere principalmente daquela anotação linear pura, que é quando você pega o caderno e anota tudo o que acha que é importante. Ele quebra completamente essa linearidade, pois ele já começa no meio de uma folha e os ramos vão saindo para todos os lados.

A construção do mapa mental facilita você raciocinar sobre aquilo que você está estudando, ou pelo projeto que está trabalhando. Ela estimula também seu raciocínio porque tem um formato radial, onde você vai colocando ramos sem limite.

É também uma ferramenta de brainstorming e de auxílio na gestão estratégica de uma empresa ou negócio.

Esse formato de mapa mental foi criado por um inglês chamado Tony Buzan, que percebeu ,como professor universitário, que as anotações lineares eram extremamente ineficientes para a aprendizagem em si.

Buzan começou destacando palavras-chaves de anotações lineares, depois começou a olhar para os conceitos que estavam destacados e esquecia todo o texto que restava, para então começar a descobrir relações entre essas palavras-chaves, mas mesmo assim ainda as informações ainda ficavam desorganizadas.

Foi aí que veio a sacada! Buzan pegou aquilo que tinha selecionado e desenhou em uma folha diferente com um tópico central, e cada ramo sendo detalhado conforme a necessidade.

O próximo passo foi adicionar cores e desenhos, se tornando muito parecido com a versão que utilizamos hoje!
Onde aplicar Mapas Mentais?

Os mapas mentais são uma super ferramenta para aprendizagem, mas volta e meia aparece alguém que nunca ouviu falar deles.


O mapa mental pode ser aplicado a qualquer tarefa, atividade, profissional, ou lazer, de modo individual ou em grupo para planejar qualquer tipo de evento. Trata-se de um método para planejamento e registro gráfico cada vez mais usado em todas as áreas de conhecimento humano.


No estudo e aprendizagem

Você tem dificuldades para lembrar o conteúdo que estudou? Na hora da prova vem aquele “apagão” desesperador? Você estuda, lê dezenas de páginas, faz exercícios, mas não parece o suficiente? Um mapa mental pode ser a solução.
Saber diferenciar conteúdo e método é essencial no processo de aprendizagem. Para desenvolver a concentração, melhorar a absorção e lidar com o excesso de informações, os mapas mentais podem ajuda-lo a aprender mais profundamente e de maneira mais ágil.

Com a ferramenta, a absorção e criação de conhecimentos tornam-se mais interessantes e criativas. Nesse caso, é recomendado que o mapa seja desenhado a mão, assim, é possível que o cérebro tenha um tempo para receptar as informações.
Em empresas e projetos

Suponhamos que, em sua empresa, não faltem boas ideias, mas que você e sua equipe não conseguem aproveitá-las ao máximo por falta de uma visão sistêmica de negócio: é exatamente aí que a ferramenta entra. Com ela, você conseguirá ordenar e expressar pensamentos de forma bastante lógica, visual, comunicando assim sua ideia com mais precisão e clareza.

Você pode usar o mapa mental em diversos contextos, como:

Rotina diária – prepare um mapa mental para organizar as atividades do dia, a lista de coisas a fazer, a preparação de uma viagem, as informações em uma palestra, o resumo de um relatório, etc;

Identificação de oportunidades – o mapa mental pode servir ao mapeamento do mercado, à análise de tendências, às demandas do consumidor, à análise da evolução tecnológica, de competição, à definição de perfis de clientes;

Planejamento do negócio – aplique a ferramenta para elaborar um plano de negócio ou de um projeto;

Planejamento de marketing e vendas – o planejamento de eventos e a criação de conteúdo para um site ou uma embalagem podem ser melhor estruturados com um mapa mental;

Planejamento de recursos humanos – utilize a ferramenta para elaborar questões para entrevista de emprego, avaliar desempenho dos colaboradores, etc;

Gerenciamento de projetos: neste caso, a Estrutura Analítica de Processos (EAP), que é o diagrama de hierarquia de um projeto, pode ser elaborada de duas formas: a primeira é chamada de EAP analítica ou sintética, e a segunda, justamente de mapa mental.

Como fazer Mapas Mentais?

Antes de começar a efetivamente fazer o mapa mental, atente-se ao material que você vai precisar para desenhá-lo. Isso mesmo!

Um princípio importante do mapa mental são os desenhos, porque são eles os responsáveis por ajudar o cérebro a guardar uma informação. Por isso, você vai precisar desenhar (ainda que de forma bastante simples) os dados necessários para compor seu mapa mental.

Isso também nos leva a outra questão importante: evite os softwares de elaboração de mapa mental.

Se o seu objetivo é estudar, nada melhor do que fazer um mapa mental a mão, pois a efetividade do mapa mental advém principalmente do fato de que você o faz à mão. O estudo ativo ajuda na memorização e mantém seu cérebro mais alerta no processo de aprendizado.

Mas mas se seu objetivo é produzir um mapa mental para consumo externo, é interessante ter um software com características mais profissionais.

As vezes você também pode ter como objetivo fazer um mapa mental para um projeto onde você apenas vai mostrar entre amigos, ou se não, você quer fazer um mapa mental colaborativo, onde todas pessoas podem acrescentar novas ideias para o seu mapa mental.
Separe o material necessário

Voltando para o material necessário, você vai precisar de três coisas muito simples: uma mesa, papel em branco e canetas coloridas ou marca-texto. É importante que você utilize cores diferentes para as informações do mapa mental. Isso auxilia o cérebro a associá-las e ativá-las na memória durante a prova.

Defina o tema principal

Os mapas mentais têm como princípio desdobrar, em palavras-chave e imagens, um assunto principal. Por isso, antes de começar a fazer seu mapa mental, defina qual é o assunto ou tema principal a ser trabalhado.

Para praticar, você pode começar a fazer mapas de temas simples, como listas de tarefas. Com o tempo, a produção desses mapas mentais será cada vez mais rápida e prática.

Busque informações

Para elaborar um mapa mental, é preciso que você tenha conteúdo. Isso significa que é muito difícil resumir e condensar um assunto se o seu conhecimento for superficial.

Primeiro, entenda o assunto, leia os autores recomendados e faça exercícios. Depois, elabore o mapa mental com os tópicos mais importantes como uma ferramenta de fixação do conteúdo já estudado.
Comece a fazer

Depois de entender o que é e como funciona o mapa mental, separar os materiais e ler bastante sobre o conteúdo, chegou a hora de finalmente fazer o mapa mental.

Elemento central:

No centro do papel em branco, escreva ou desenhe o tema principal.

O nosso cérebro não funciona de maneira linear: ele pensa uma coisa aqui, depois lembra de outra coisa ali, mais tarde ele se aprofunda um pouco mais sobre outro assunto e por aí vai…

Por isso, a “forma tradicional” de escrever (uma linha embaixo da outra e sempre com a mesma cor de caneta) é a pior maneira possível para você raciocinar sobre alguma coisa.

O mapa mental, por sua vez, funciona a partir de um elemento central que irradia do centro em direção às bordas, de forma que você possa respeitar a forma de funcionamento natural do seu cérebro.

Desenho:

O mapa mental é constituído de “ramificações” onde sempre se parte de um elemento principal (palavra-chave) e é ligado à um subtópico.

Depois de desenhar ou escrever qual é o assunto do mapa mental no centro do papel, conecte-o aos tópicos principais.

Para isso, você pode utilizar setas, linhas ou o que mais achar interessante. Quanto mais colorido e ousado, mais interessante será para o cérebro.

Essas conexões podem ser de dois, três ou até quatro níveis. O importante é organizar as informações de forma sucinta e criativa.

É importante evitar também fazer linhas retas para essas conexões. Qualquer estrutura comum vai entediar se cérebro, e isso é distração na certa.

Ter desenhos e símbolos visuais é outro segredo para melhorar a aprendizagem. Como eu já disse, a memória é muito visual, por isso as pessoas aprendem muito mais fazendo associações com os símbolos e o conceito que eles representam.

Palavras-chave:

Essa é parte mais negligenciada pelas pessoas que tentam fazer mapas mentais: o uso das palavras-chaves.

Evite usar frases inteiras ou com mais de 2 palavras para montar os “ramos” que conectam seu mapa mental; isso vai ocupar muito espaço e não facilita a memorização.

Se você escreve frases inteiras em cada ramo, além de perder muito tempo, você deixará seu mapa parecendo um resumo linear bagunçado.
Softwares para fazer Mapas Mentais


Usando um software para fazer mapas mentais você tem uma flexibilidade muito grande para incluir/excluir, ou seja, reorganizar informações, e isso torna o trabalho mais fácil, pois o mapa mental a mão não te dá essa liberdade.

Um outro recurso fantástico que a maioria dos softwares dão é o recurso de linkar tanto com outros mapas mentais, quanto para algum material do seu computador ou até mesmo na web, como por exemplo, um vídeo.

Outra vantagem também é o recurso da colaboração, onde se torna muito mais fácil um grupo de pessoas compartilharem informações sobre o mapa mental que estão fazendo ao mesmo tempo.

Para você que gostaria de transcrever suas ideias em forma de Mapa Mental pelo computador, aqui vão 8 dicas de programas especializados nisso:

1. MIND MEISTER (grátis e pago)
Seu grande diferencial é por ser on-line
Acessível de qualquer lugar
Visual bem agradável

2. MIND NODE (grátis)
Programa muito simples e prático de se utilizar no dia a dia
Sua desvantagem é que é compatível somente com MAC OS, iPad e iPhone
Foi classificado pela Apple como “App Store Best”
Download: www.mindnode.com

3. FREE MIND (grátis)
Freemind é programa de Software Livre para criar Mapa mental. Ele é bem simples e objetivo
Disponível para usuários Windows, MAC OS e Linux

4. XMIND (grátis e pago)
Possui um visual agradável e diversas formas de compartilhamento dos mapas e salvá-los no servidor XMind
XMind é a versão grátis, já as versões mais completa (XMind Pro, e XMind Plus) são pagas
Disponível para Windows, MAC OS e Linux

5. FREE PLANE (grátis)
Outro programa bem simples de ser utilizado
O ponto fraco é seu visual, não muito agradável
Disponível para Windows, MAC OS e Linux

6. MIND MANAGER (pago)
Um programa bem completo
Porém não há versão grátis
Disponível para Windows e MAC OS

7. MIND MAPR (complemento Chrome)
Este tem uma particularidade interessante, trata-se de um complemento do navegador Google Chrome
É possível criar mapas mentais diretamente pelo navegador, sem necessidade de conexão com internet

8. COGGLE (grátis)
Também online
Permite mais de uma pessoa trabalhar no mesmo mapa mental
Livros sobre Mapas Mentais

Eu vou indicar dois livros que você pode ler para começar a entender essa paixão por mapas mentais e todo o poder que eles têm para a sua aprendizagem.


É um livro bem prático que introduz a ideia dos mapas mentais e ensina, passo a passo, os seus elementos básicos de construção.


Ele não ensina exatamente como fazer os mapas mentais, mas fala do “por que” deles: por que eles funcionam?

Quer saber mais? acesse o manual da secretária

Nenhum comentário:

Postar um comentário