quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Sobre chegar ao topo

Olá Pessoal, 

Reconheço e sou muito grata à todas as oportunidades que o Secretariado me proporcionou ao longo da minha trajetória. Tenho plena consciência que atuar como Secretária Executiva por quase duas décadas contribuiu de forma singular para o meu crescimento intelectual, profissional e pessoal, uma vez que me possibilitou ampliar minha visão de mundo, reconhecer minhas potencialidades e fazer novas descobertas.


Ao longo desses anos foi preciso uma mudança de minset e uma atitude mental positiva, contrariando todas as circunstâncias do meio em que vivia. Aprendi, anos atrás, que somos como condutores de energia e atraímos exatamente aquilo que desejamos. Pensamento gera intenção. 

Aprendi, entre tantas outras coisas, com meus melhores líderes que nosso trabalho precisa ter um porquê e não ter apenas como meta mais elevada manter o emprego que temos. Mas afinal, até que ponto acreditamos verdadeiramente em nosso potencial e capacidade de realizar? 

Recentemente fiz uma pausa em minhas atividades e como de costume escolhi vivenciar novas experiências, hábitos, gastronomia, cultura, história e tradições, percorrendo França, Suíça e Portugal por quinze dias. Foram dias incríveis, em que pude aprender muito, conhecer pessoas admiráveis e aprimorar meus conhecimentos. 

Viajar, para mim, é uma oportunidade de expandir minha visão de mundo a partir de novas perspectivas. Acredito que é quando saímos da nossa zona de conforto que somos capazes de aprender e nos conectar com o outro. Seja uma viagem para as belas paisagens brasileiras ou para fora do País temos a oportunidade de retornar com uma bagagem mais expressiva, e quando me refiro à esta bagagem não faço referência à consumo e gastos mas refiro-me ao mais valioso que podemos trazer: Histórias para contar e recordar.

O ponto alto dessa viagem foi chegar ao topo do Aiguille du Midi, a montanha situada no Maciço do Mont-Blanc, que é considerada uma das montanhas mais admiradas do mundo. Aiguille du Midi está localizado em Chamonix, um vilarejo situado na região de Auvérnia-Ródano-Alpes na França. Chegar à altitude de 3.842 m acima do nível do mar e com uma temperatura de -30 graus é algo realmente impressionante que exigiu muita coragem, preparo e disposição. 

Te convido a embarcar comigo nessa viagem em que compartilharei todas as etapas até chegar no ponto alto da viagem. Afinal, chegar ao topo, seja do Aiguille du Midi ou em qualquer outro da vida, é necessário o cumprimento de algumas etapas tais como objetivo, foco, planejamento, organização, gerenciamento de recursos físicos e financeiros, logística, jogo de cintura e tantas outras providências. E é sobre isso que falaremos nos próximos posts. 

Desejo que esta experiência possa inspirar, motivar e trazer reflexões. 

Um abraço e até breve,

Simara Rodrigues 


 Chegando à Chamonix - após 800 km percorridos de carro 

 Estrada linda de viver




 Vista do Hotel - momento para agradecer e celebrar as belezas de Deus


A subida é feita em um teleférico




Vista do teleférico da pequena e charmosa Chamonix  

 Chegando ao topo e tão próximo das nuvens - Nesse ponto o coração começa a dar uma acelerada e sentir a altitude










 Step into the Void - Onde você pode ficar suspenso por uma plataforma de vidro e observar uma vista de perder o fôlego, além de uma ótima alternativa para aquecer o corpo, que a esta altura estava congelando. 




Um comentário:

  1. Simara! uma pausa é sempre essencial, renova os ânimos e aflora a criatividade!
    Aguardo com muita expectativa os próximos posts.
    Com carinho,

    Keysa

    ResponderExcluir