terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Por que muitos recrutadores não dão feedback?


Entre meus hábitos matinais está a leitura do Linkedin. Para mim, é uma oportunidade de atualizar e aprimorar meus conhecimentos. Sem deixar de mencionar que é produtivo e há sempre ótimos insights. 


Esta manhã li um comentário postado na página do Daniel Scott e entendo que seja importante compartilhar a reflexão aqui no blog. O tema é sempre polêmico e envolve muitas opiniões. Seja como for, vale a reflexão e principalmente a autoanalise sobre o assunto. Será mesmo que a "culpa" é do RH? 

Atuando na área de recrutamento e seleção há alguns anos confesso que determinadas situações me assustam e me paralisam. É inacreditável o comportamento que alguns profissionais adotam, evidenciando total despreparo a começar pelo envio do currículo, que em algumas situações só cabe o silêncio, afinal, como bem como colocou o post, a ausência de um feedback já é, em si, um feedback!


Por Daniel Scott 

Muitos recrutadores não dão feedback? Com certeza! Isso é deselegante, cruel e insensível? Pode apostar que sim! E os textões de gente reclamando disso estão ficando repetitivos? Sem dúvidas! Mas verdadeira pergunta é: as pessoas que tanto querem feedback realmente estão dispostas a ouvir um?

- Quando falamos que seus CVs estão mal formulados, elas negam. 

- Quando falamos que não adianta enviar 100 currículos por dia, te xingam. 

- Quando falamos que reclamar do RH diminui as chances de ser contratado, falam que assim nada nunca vai mudar.

- Quando falamos que saber inglês e excel é fundamental, te chamam de arrogante.

- Quando falamos que precisam aprender a escrever correto, também te chamam de arrogante.

- Quando falamos que precisam se capacitar mais, falam que você é parte "dazelites".

- Quando falamos que postar frases motivacionais no Linkedin só atrapalha, falam que você é pessimista.

- Daí quando falamos que o problema provavelmente é a pessoa e não o RH, te bloqueiam.

E seguem fazendo as mesmas coisas que já viram que não traz resultados. Afinal... elas querem feedback ou tapinha nas costas?

Ah, e é bom lembrar que muitas vezes, a ausência de um feedback já é, em si, um feedback!



Nenhum comentário:

Postar um comentário