quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Os desafios e oportunidades para o profissional de Secretariado Executivo?



Semestre passado, ministrando a disciplina de Técnicas Secretariais, solicitei aos meus alunos que, a partir dos debates em sala de aula, realizassem uma reflexão acerca dos desafios e oportunidades para o Profissional de Secretariado Executivo. 


Esta metodologia contribui para que eu possa perceber como os alunos se identificam e se relacionam com o Secretariado e assim tenho a possibilidade de direcionar os estudos e elucidar algumas inquietações e curiosidades acerca da profissão. 

O tema resultou em textos interessantíssimos o que me motivou compartilhar aqui no blog um deles, com a devida autorização da aluna. Confira as percepções de Lilian sobre o assunto.



Os desafios e oportunidades para o profissional de Secretariado Executivo?

As últimas décadas consagraram mudanças significativas à profissão de Secretariado Executivo. O perfil do profissional de secretariado vem mudando conforme as novas exigências do mercado de trabalho. Cargos e funções relacionados à gestão empresarial vêm colocando a profissão em um patamar de grande relevância. Por outro lado, a cada dia requer do profissional mais conhecimento e habilidades técnicas e pessoais. 

A profissão de Secretariado Executivo compõe o campo interdisciplinar de conhecimentos, influenciando tanto na formação quanto na atuação profissional. Muitas são as oportunidades e espaços de atuação desse profissional, que pode se inserir tanto em empresas privadas quanto em órgãos públicos, executando funções de assessoria, consultoria, organização de infraestrutura, de processos e métodos de trabalho. E há ainda as oportunidades para o empreendedorismo àqueles profissionais com perfil gerencial e que atuam como agentes de transformação, que criam novos espaços e cenários no mundo dos negócios.

Novas referências e perfis de profissionais de secretariado vem em crescente ascensão no contexto empresarial. O profissional de secretariado é um formador de opinião e cada vez mais vem assumindo funções gerenciais. Contudo, requisitos em elevado nível são exigidos tais como, domínio de um ou mais idiomas, das ferramentas de informática e da tecnologia da informação, bem como vasta cultura e conhecimentos gerais de marketing, política, finanças, mercado de trabalho, recursos de multimídia e, principalmente, expertise em elaborar relatórios e projetos, além de habilidades pessoais para estabelecer relacionamentos e administrar conflitos. 

Posto isso, interessa-nos refletir quão importante é romper com teorias simplistas acerca da profissão de Secretariado Executivo. Atribuir à profissão a execução de tarefas meramente rotineiras e pensar nas habilidades técnicas para somente cumprir incumbências e garantir o funcionamento das rotinas no ambiente de trabalho, é um equívoco; a prática secretarial vai muito além disso.

Outro enorme desafio empregado ao Secretariado Executivo versa sobre a postura crítica e a percepção acerca da importância da profissão e da valorização de seus profissionais. A Lei nº 7.377, de 30 de setembro de 1985, a qual dispõe sobre o exercício da profissão de secretário, engloba diretrizes e orientações que norteiam a prática e ações do profissional de secretariado. Já é um avanço a regulamentação da profissão, no entanto há muito que se investir para que o Secretariado Executivo continue imprimindo sua própria história. É de suma importância a persistência da luta e mobilização da categoria para criação do Conselho da profissão.

*Lilian Moreira Costa
Aluna do 2º semestre de Secretariado Executivo - UNIP

Nenhum comentário:

Postar um comentário